Como faço transcrições.

Atualizado: 23 de Mai de 2020

Salve pessoal! Hoje gostaria de compartilhar um pouco do meu modo de realizar este trabalho, e como deixo as partituras no formato disponibilizado aqui neste site. Se preferir, pode assistir o vídeo no Youtube, onde mostro tudo passo a passo. Bom proveito!



O primeiro passo - talvez o mais importante de todos - é escutar o máximo de vezes possível aquele trecho que deseja transcrever. Isso vai te ajudar a criar uma imagem mais clara da forma, sentido melódico, harmônico e rítmico. Pra mim, a hora de partir para escrita é quando já consigo cantar o solo mentalmente. Podem haver ainda algumas discrepâncias e você não precisa ser um cantor pra isso. A idéia é construir no pensamento um esboço da tela que vamos pintar.


Neste vídeo, trabalhamos a melodia de Sunday, gravada por Sonny Stitt no álbum Night Latter, de 1971.



Eu uso o software Sibelius para a escrita, mas isso não é uma regra. Acho, no entanto, vantajoso o fato de poder escutar aquilo que escrevemos. Ajuda muito principalmente aqueles que estão começando. Costumo organizar a partitura como forma e quadratura bem definidas, o que ajuda a compreender a obra como um todo.


Depois, construo um grande rascunho rítmico de todo o solo/melodia adicionando o nuances melódicas que percebi: quando a melodia fica mais aguda ou mais grave, por exemplo. Muitas vezes defino a nota só no último momento, quando toco nota por nota no saxofone. Se você ainda tiver dificuldades de afinação no sax, recomendo usar o piano pra conferir a melodia. Com o tempo e quando se sentir mais confortável, faça isso com o seu instrumento.


Finalmente a parte mais legal, tocar aquilo que registramos! Nesse momento, gosto de imprimir a partitura para poder ler com mais facilidade e anotar com lápis detalhes de articulação e dinâmica.

Acredito que fazer esse tipo de estudo com os saxofonistas que mais gostamos seja uma das coisas mais prazerosas de todas. É também a forma que trás mais e mais duradouros benefícios. Bons estudos!


A transcrição deste solo e de muitos outros está disponível gratuitamente neste link:


https://www.solosaxtranscriptions.com/pdf-s-free



Se você quiser aprender mais sobre improviso, recomendo o livro Caminhos da Improvisação, do saxofonista Ademir Junior. Comprei há um ano mais ou menos, é meu material de consulta diário!





8 visualizações0 comentário